Sinduscon-MG divulga balanço de 2014 da construção civil

Fonte: Sinduscon-MG

Nesta quinta-feira, o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG) divulgou à imprensa o balanço do setor em 2014. Durante a entrevista coletiva foi analisado o atual momento do mercado em Minas Gerais e no Brasil. Os dirigentes e especialistas do Sindicato também apontam perspectivas para o próximo ano diante de alguns cenários possíveis.

Intitulado “Construção Civil (Brasil e Minas Gerais) e Mercado Imobiliário de Belo Horizonte: Desempenho em 2014 e perspectivas”, o balanço foi elaborado pela Assessoria Econômica do Sinduscon-MG. O estudo apresenta vários indicadores setoriais, entre os quais os de nível de emprego, custos de construção, financiamentos imobiliários, lançamentos e vendas de unidades habitacionais em Belo Horizonte, além de dados atualizados do Programa Minha Casa, Minha Vida.

O evento foi aberto pelo presidente do Sinduscon-MG, Luiz Fernando Pires, que defendeu a necessidade de medidas que promovam o retorno da credibilidade no Brasil e que possibilitem aos empresários planejar a longo prazo. “O governo sinaliza que vai ter uma política econômica mais responsável, mas, ainda, nenhuma medida efetiva foi colocada em prática”, ponderou.

Em seguida, o 1º vice-presidente do Sinduscon-MG, André de Souza Lima Campos, destacou que o Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV) deve se tornar um programa de estado, garantindo a sua continuidade depois de trocas de governos.

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), atualmente, o déficit habitacional no Brasil está em cinco milhões de moradias. Ainda segundo o estudo, estima-se que, com a formação de 16,8 milhões novas famílias nos próximos dez anos, a demanda por habitação de baixa renda será de 20 milhões de unidades até 2024. Entretanto, André ressaltou que são necessários ajustes no programa para que cresça ainda mais, principalmente na regularização dos pagamentos às construtoras sem atrasos.

Já o vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, Lucas Guerra Martins, destacou que o mercado imobiliário de Belo Horizonte apresentou uma evolução. No período de janeiro a outubro deste ano, foram lançadas 3.062 unidades, incremento de 23,07% em relação a igual período do ano passado. Já as vendas cresceram 2,89% na mesma base de comparação, acumulando 2.275 apartamentos comercializados de janeiro a outubro de 2014.

Apesar dos números positivos, Lucas destacou que é preciso estímulos para que a Indústria da Construção e o mercado imobiliário se mantenham em expansão em 2015. O dirigente aproveitou para reforçar que aumentos de tributos, como o ITBI e o ISSQN, e mais restrições no coeficiente de aproveitamento em Belo Horizonte são prejudicais a toda a sociedade e, se implementadas, vão aumentar os custos e os valores de imóveis na Capital.